• Instituto Mtivação

10 PASSOS PARA A ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO CRIANÇA E ADOLESCENTE

Atualizado: 5 de Ago de 2019


Diagnóstico municipal - diga ao google

Ao desvelar a realidade local, o diagnóstico criança-adolescente do município é um instrumental fundamental para subsidiar ações diversificadas que objetivam o fortalecimento do Sistema de Garantia dos Direitos da população entre 0 e 18 anos, ao mesmo tempo em que fortalece a implantação, implementação e redirecionamentos necessários de políticas, programas e projetos. Também, indica os direcionamentos e controles da aplicação dos recursos que ingressarem nos Fundos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente e os advindos de outros segmentos.

Dentre as dificuldades postas no contexto nacional, encontram-se a falta de pesquisas, de indicadores e de análises dos dados que desvelem os motivos que impedem a conquista dos direitos da criança e do adolescente num determinado local. A melhor compreensão dos conhecimentos poderá levar à direção da valorização ético-política do paradigma dos direitos ao superar as lacunas na abrangência dos princípios, dos conceitos e dos procedimentos a serem efetuados a partir de um planejamento preciso em todas as áreas de atuação.

Para a concretização da garantia dos direitos desse segmento etário é importante que o município conheça as condições de vida de suas crianças e de seus adolescentes, para que, a partir dos ditames preconizados pela Constituição Federal brasileira, pela Convenção dos Direitos da Criança da qual o Brasil é signatário e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, os segmentos responsáveis possam elencar e priorizar planos de ações que alcancem as efetividades, as eficiências e as eficácias necessárias por meio de programas e políticas; assim como, também, direcionar a utilização de recursos de forma eficiente.

A garantia dos direitos deste segmento etário exige um esforço coletivo em busca de soluções comuns e consensuais por meio de um diálogo que reconheça todos os seres humanos como interlocutores responsáveis, assim como a diversidade das instituições envolvidas. A efetividade do diálogo, muitas vezes, depende de dados objetivos para subsidiar as decisões.